11 anos sem Léopold Sédar Senghor

Hoje completam-se 11 anos do falecimento de Léopold Sédar Senghor, que junto com Aimé Césaire foi o grande ideólogo da Negritude [corrente literária que agregou escritores negros francófonos e também uma ideologia de valorização da cultura negra em países africanos ou com populações afro-descendentes expressivas que foram vítimas da opressão colonialista]. De pai católico e mãe muçulmana, ele nasceu no Senegal em 9 de outubro de 1906 e faleceu em Verson, na França, em 20 de dezembro de 2001. Também foi o primeiro presidente eleito daquele país, exercendo sucessivos mandatos de 1960 a 1980.

Semana da África na TV Brasil

Programação especial marca a Semana da África na TV Brasil.

Baby Amorim

Entre as atrações estão os inéditos Caminhos da Reportagem dedicado a Quilombos e o Rede Jovem de Cidadania sobre Kora Brasil, um encontro sonoro entre instrumentos de cordas de origem africana e a música afro-brasileira. Também voltam ao ar os melhores momentos da primeira temporada da série Nova África e o longa “Mama África”, produção brasileira de 2010, dirigida por Alê Braga.

Confira as atrações:

Programação completa

http://tvbrasil.ebc.com.br/semanaafrica/episodio/semana-africa

Fonte: Rede Aruanda Mundi  http://aruandamundi.ning.com/

Salão das Literaturas Africanas na Bélgica

Notícia direto de Dakar, Senegal

A agência de notícias Panapress publicou hoje uma nota informando sobre um Salão das Literaturas Africanas Escritas e Orais na capital belga, Bruxelas, entre 5 e 7 de Fevereiro.

A idéia geral do evento, cujo título detalhado é “Salão dos Olhares Interculturais: autores africanos, leitores belgas“, é congregar editores e autores de diversos países para apresentar aos leitores belgas a produção literária da África pelos Africanos.

As obras a serem apresentadas foram organizadas seis coleções, a saber: romances e contos, quadrinhos, livros infantis, ensaios, línguas africanas e manuais escolares.

Haverá uma homenagem especial “ao rei do riso”, Mangobo, primeiro comediante do Congo, parte do trio Monzali, Lokuli e Mangobo, que foi uma espécie de “Os Trapalhões” do Congo. Aqui um vídeo encontrado no youtube:

http://br.youtube.com/watch?v=g7VZyIz0gCk